Cinema

CRÍTICA – UM LUGAR SILENCIOSO

O filme dirigido pelo ator e protagonista John Krasinski, chega com toda sua força no cinema de 2018. Totalmente inovador “Um lugar silencioso” consegue apresentar em cada minuto do filme uma angustia e medo diferente e por mais incrível que pareça, não precisou usar nenhuma fala para isso, muito pelo contrário.

A história se passa em um futuro pós-apocalíptico em uma fazenda no interior dos EUA, aonde uma família para se proteger de criaturas desconhecidas, vive em um silêncio absoluto, pois qualquer tipo de ruído ativa a percepção e provoca a presença dessa criatura.

Os atores/casal John Krasinski e Emily Blunt, que atuam como os pais da família no filme, conseguem dar sintonia as cenas e encaixam precisamente em cada momento de aflição e terror que o filme exige, a atuação excelente do casal impulsiona o enredo e faz nos sentir confiante sobre suas orientações dadas ao longo da trama.

Já os filhos interpretados por Noah JupeMillicent Simmonds atiçam a ansiedade, a preocupação e a apreensão do público, principalmente pela atriz mirim, de fato deficiente auditiva, ser responsável por apresentar ao longo da árdua sonoplastia o ensurdecedor silêncio vivenciado por um deficiente auditivo, uma das grandes jogadas do diretor!

A comunicação entre a família é por completa gestual, o que reforça a ideia do silencio como prioridade e combina com a proposta oferecida para o público, sem precisar ficar explicando tudo em todos os momentos do filme, conseguindo unir não só o terror, mas, ação, drama, aventura em um só gênero.

Não só pela a inovação do projeto, o ambiente do filme nos permite acreditar e comprar a ideia do diretor, com um rastro de areia sobre cada trilho, rua e passagem (para evitar o máximo de barulho), o silêncio se torna protagonista e faz qualquer coisa, mesmo que seja uma folha ou um sussurro, se tornar algo atípico e aterrorizador no filme. Ao longo das cenas conseguimos identificar na maioria das vezes, os famosos “sustos clichês” no qual já sabemos quando irá aparecer, que sinceramente, se encaixa como uma luva no filme.

De forma criativa e inusitada, o gênero de suspense/terror ganha mais um filme exemplar em sua classe. Arisco dizer, que não será exagero se em algum ator/atriz ou categoria for contemplado com um prêmio, o filme conseguiu trazer sem esforço, mas com criatividade, o impensado e trouxe de forma correta o que um suspense deveria apresentar em seus filmes.

Sem Comentários

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: